Boletim 04 – Desafios da Segurança Pública e Forças Armadas no controle ao coronavírus

Atualizado em 17 mar. 2020, às 15h40min


Neste boletim o Blog CidadãoSSP traz informações como estão sendo encarados os desafios da pandemia em diversos países, com enfoque nas ações da forças de segurança. No Reino Unido já estava planejado o plano de atender apenas ocorrências criminais mais graves e focar na atuação do controle sanitário. França está pronta a para impor limitação de circulação em seu território numa grande mobilização de policiais, o presidente Macron comparou a uma situação de guerra.

O aprendizado mais importante vem de Taiwan, eles usaram controles rígidos, mas sem desrespeito aos direitos civis. Muita tecnologia e busca ativa de pacientes suspeitos e tratamento diferenciado para viajantes. Pele que vimos o governo de Israel passou por cima do Parlamento e com diretivas de emergência quer acompanhar o exemplo de Taiwan.

Reino Unido

#1 – Plano de ação para coronavírus: Exército nas ruas e polícia para ignorar crimes de baixo nível

Como estavam planejadas as ações entre os britânicos desde a semana passada.

Alguns pontos principais do plano:

Se a polícia perder um número significativo de “funcionários” devido a doenças, “se concentrará em responder a crimes graves e em manter a ordem pública”. Em um ‘cenário de alongamento’, é possível que até um quinto dos funcionários esteja ausente do trabalho durante as semanas de pico. Todos enfrentarão pressões crescentes no trabalho, bem como potencialmente suas próprias doenças e responsabilidades de cuidar. Apoiar o bem-estar da equipe ‘será fundamental’ para as empresas.

Fontes:

Metro | https://metro.co.uk/2020/03/03/coronavirus-action-plan-army-streets-police-ignore-low-level-crime-12338281/?ito=cbshare

Al Jazeera | https://www.aljazeera.com/news/2020/03/british-army-standby-coronavirus-spread-200303113248092.html

The Guardian | https://www.theguardian.com/world/2020/mar/03/uk-government-coronavirus-plans-strip-fire-and-police-to-essentials-covid-19

França

#2 – França enviará 100.000 policiais para reforçar o bloqueio de coronavírus

A França enviará 100.000 policiais para impor um bloqueio ordenado pelo presidente Emmanuel Macron com o objetivo de conter o surto de coronavírus, disse o ministro do Interior do país na segunda-feira, e postos de controle fixos serão instalados em todo o país.

Falas do presidente da França: “Qualquer um que desrespeitar as restrições, em vigor pelo menos nas próximas duas semanas, será punido”. “Sei que o que estou pedindo a você é sem precedentes, mas as circunstâncias exigem”, disse Macron. “Não estamos enfrentando outro exército ou outra nação. Mas o inimigo está ali: invisível, ilusório, mas está progredindo”.

Fonte: France24 | https://www.france24.com/en/20200317-france-to-deploy-100-000-police-to-enforce-its-war-on-coronavirus

Mundo | Giro da BBC News

Da Espanha para os EUA, os governos estão tomando medidas para tentar reduzir a propagação do vírus. Além de limitar as viagens internacionais, alguns países também estão tentando restringir o movimento dentro de suas próprias fronteiras e impedir que as pessoas se misturem em público.

Itália

Aplicação de multa para quem descumprir isolamento e quarentena

O governo pediu à população de 60 milhões de pessoas para ficar em casa sempre que possível. Os moradores só podem pisar fora devido a uma necessidade urgente, como necessidades de compra, e espera-se que eles possuam um formulário justificando o motivo da viagem. Os infratores enfrentam a ameaça de uma multa de € 206 (£ 179; $ 235) por violar as regras ou até três meses de prisão.

Espanha

Houve relatos de oficiais de segurança e militares destacados para monitorar e desencorajar reuniões públicas. As forças armadas também estão intervindo para proteger e abrigar a população de rua do país, de acordo com relatórios locais.

Arábia Saudita

A Arábia Saudita anunciou multas de até US $ 133.000 (£ 110.000) para pessoas que não declararam as informações corretas relacionadas à saúde e os detalhes da viagem ao entrar no país.

Austrália e Nova Zelândia

Multas e promessa de extradição a estrangeiros que não colaborarem

Qualquer pessoa que não cumpra as novas regras de isolamento na Austrália enfrentará a ameaça de pesadas multas e até de prisão em algumas áreas. A punição mais cara é na Austrália Ocidental, onde os infratores podem enfrentar a entrega de até US $ 50.000. A primeira-ministra da Nova Zelândia , Jacinda Ardern, alertou que os viajantes que não cumprirem suas regras de auto-isolamento podem sofrer multas e serem expulsos por completo. “Se você vem aqui e não tem intenção de seguir nossos pedidos de auto-isolamento, francamente você não é bem-vindo e deve sair antes de ser deportado”, disse ela.

Estados Unidos

Autoridade dada a funcionários da saúde, uso de base militar para quarentena de repatriados

Nos Estados Unidos , funcionários dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) têm autoridade para impedir a entrada e a disseminação de doenças transmissíveis do exterior e entre estados. Isso foi reforçado notavelmente quando os americanos que voltaram de Wuhan para casa foram submetidos a quarentena obrigatória em uma base militar californiana em seu retorno. O CDC aponta que funcionários estaduais, locais e tribais também têm funções de poder policial para proteger a saúde e o bem-estar dos cidadãos dentro de suas próprias fronteiras. Alguns estados já implementaram restrições adicionais à vida pública, incluindo a proibição de reuniões de mais de 50 pessoas. Houve casos isolados em que a quebra de regras se tornou um problema. Em Kentucky, um morador que se recusou a se isolar tinha um policial estacionado do lado de fora de sua casa para mantê-lo dentro, de acordo com relatos locais.

Fonte: BBC News | https://www.bbc.com/news/world-51911340

Espanha

#4 – Espanha, no bloqueio, pesa liberdades contra o coronavírus

Disputas entre poder local e o poder central de Madri revelam diferenças entre espectros políticos

No centro de Madri, a polícia patrulhava as ruas, com poucos carros passando por sua artéria principal, a Castellana. Em Barcelona, ​​o Bairro Gótico estava vazio, e a segurança privada impedia que alguém entrasse na catedral. O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, disse que estava impondo medidas drásticas para combater o coronavírus, forçando as pessoas a ficar em ambientes fechados, com exceções apenas para as chamadas circunstâncias excepcionais. Os 47 milhões de cidadãos da Espanha também tiveram outra preocupação, que ecoou pelo Ocidente: como equilibrar valores e práticas democráticas enquanto tentava mudar o comportamento das pessoas para proteger sua saúde.

Fonte: New York Times | https://www.nytimes.com/2020/03/15/world/europe/spain-coronavirus.html

Itália

#5 – Itália expande medidas de quarentena em todo o país para impedir a disseminação de coronavírus

Ainda na semana passada, a Itália já estava dispondo do uso de todas as suas forças de segurança: Na Itália, policiais e soldados checam os passageiros que saem da principal estação ferroviária de Milão na segunda-feira (dia 09 de março).

O governo italiano anunciou medidas extraordinárias para conter o coronavírus. O primeiro-ministro Giuseppe Conte declarou na segunda-feira que todo o país é uma “zona vermelha”, o que significa que as pessoas devem ficar em casa, exceto trabalho e emergências. O discurso de Conte foi curto em detalhes, mas serviu como um grito de guerra para a nação cooperar com autoridades e seguir as restrições em vigor.

Fonte: NPR | https://www.npr.org/sections/goatsandsoda/2020/03/09/813791575/italy-expands-quarantine-measures-nationwide-to-stem-spread-of-coronavirus

União Europeia

#6 – UE fecha fronteiras enquanto França e Alemanha reforçam restrições ao controle do coronavírus

As linhas de check-in estão vazias no aeroporto de Frankfurt, uma vez que as companhias aéreas são afetadas pelas proibições de viagens relacionadas à disseminação do coronavírus na segunda-feira.

Com o número de casos de coronavírus ultrapassando os 180.000 em todo o mundo, a União Europeia propôs o fechamento de suas fronteiras externas por 30 dias, numa tentativa de conter a propagação da pandemia, enquanto a Alemanha e a França, entre os países mais atingidos da região, impôs novas restrições a seus cidadãos, visando aumentar o distanciamento social. Se aprovada como esperado, a medida extraordinária da UE reverteria uma relutância anterior nas capitais europeias e seguiria o exemplo dos Estados Unidos, onde o presidente Trump ordenou na semana passada a proibição de entrada de cidadãos não americanos de 26 países da UE. Dias depois, Trump adicionou o Reino Unido e a Irlanda à lista de proibição de viagens.

Fonte: NPR | https://www.npr.org/sections/goatsandsoda/2020/03/17/816994811/eu-to-shut-borders-as-france-germany-tighten-restrictions-to-control-coronavirus

Israel

#8  – Israel emite novas diretivas de coronavírus que limitam severamente o movimento civil

Governo ignora Parlamento para aprovar medidas cibernéticas para rastrear a disseminação de vírus. Multas de até 5.000 shekels por violar as diretrizes do Ministério da Saúde. O setor público opera em estado de emergência, o setor privado envia 70% dos funcionários para casa.

Fonte: Haaretz | https://www.haaretz.com/israel-news/coronavirus-cases-in-israel-spike-to-164-nearly-2-500-medical-officials-quarantined-1.8671075

Taiwan

#9 – Contra todas as probabilidades, Taiwan mantém coronavírus controlado

Os desafios que o COVID-19 apresenta aos governos de todo o mundo são formidáveis. Para Taiwan, houve obstáculos adicionais. Especialistas dizem que a resposta da ilha ao novo coronavírus tem sido notavelmente eficaz até agora, apesar de muitos desafios sérios, começando com seus laços estreitos com a China, e pode até conter lições para outros seguirem. “Taiwan é uma espécie de desvio positivo”, disse Jason Wang , pediatra que dirige o Centro de Políticas, Resultados e Prevenção da escola de medicina da Universidade de Stanford. “Foi muito bom quando não se esperava que eles se saíssem tão bem.”

Na sexta-feira, Taiwan registrou 50 casos confirmados de coronavírus e uma morte, em uma população de cerca de 23 milhões. A ilha viu uma disseminação relativamente baixa do novo coronavírus, apesar de sua proximidade e inúmeras ligações à China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez e infectou mais de 80.000 pessoas. Taiwan também teve que enfrentar pressão política e possível desinformação da China. Em um artigo publicado neste mês no Journal of American Medical Association , ou JAMA , Wang e dois colegas listaram 124 ações que as autoridades de Taiwan iniciaram em dezembro quando sentiram a ameaça iminente – e o resto do mundo parecia estar olhando o outro caminho.

Fonte: NPR | https://www.npr.org/sections/goatsandsoda/2020/03/13/814709530/with-odds-against-it-taiwan-keeps-coronavirus-corralled


Leia o artigo com as 124 ações do governo de Taiwan:

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2762689

Resposta ao COVID-19 em Taiwan –  Big Data Analytics, novas tecnologias e testes proativos
Wang CJ, Ng CY, Brook RH. Response to COVID-19 in Taiwan: Big Data Analytics, New Technology, and Proactive Testing. JAMA. Published online March 03, 2020. doi:10.1001/jama.2020.3151


Leia os Boletins anteriores:


Atualizado em 17 mar. 2020, às 15h40min
Por Wagner Soares de Lima

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.